Objetivos do Milênio

Objetivos do Milênio

segunda-feira, 23 de abril de 2007

6 - Combater a AIDS, a Malária e Outras Doenças

Os maiores problemas mundiais são as doenças que atingem um grande número de pessoas e sabemos que a prevenção é a melhor maneira de combatê-las.
Em grandes regiões do mundo, epidemias mortais vêm destruindo gerações e impedindo qualquer possibilidade de desenvolvimento.
Ao mesmo tempo, a experiência de países como o Brasil, Senegal, Tailândia e Uganda vem mostrando que podemos deter a expansão do HIV ( AIDS ).
Seja no caso da AIDS, seja no caso da MALÁRIA e da TUBERCULOSE, todas ameaçam, acima de tudo, as populações mais pobres e vulneráveis.
Para acabar com essa crise, temos que nos prevenir, estar preparados e ajudar nossos conhecidos.

Na nossa opinião, nós temos que abaixar o preço dos remédios, criar mais hospitais públicos, adquirir mais ambulâncias, contratar mais médicos, fazer mais tentativas de criação de remédios bem baratos e hospitais maiores.

Gabriel Pinheiro do Prado
Igor Eduardo Donni
Pedro Antonio Milanese
Colégio Magno 4ªB
Postado por 4ª série B Colégio Magno Unidade WL às 05:09

3 comentários:

4ª série B Colégio Magno Unidade WL Profª Regina disse...

Acho também importantíssima a educação em saúde da população, para que eles saibam como evitar estas graves doenças e outras mais, por um custo muito baixo. Para todos os países é muito mais barato prevenir as doenças do que tratá-las em hospitais, com médicos, ambulâncias, remédios, etc. Um bom exemplo é o PSF (plano de saúde da família), onde os agentes de saúde juntamente com enfermagem e médicos, visitam as casas das famílias mais pobres, levando saúde, prevenção e a educação em saúde, para a população não adoecer.

6 de Maio de 2007 18:18

Paulo Antonio Milanese (pai do Pedro 4ª B)

4ª série B Colégio Magno Unidade WL Profª Regina disse...

Concordo que a prevenção é a forma mais eficaz de combater as doenças, além de ser também a mais barata e portanto mais adequada alternativa para os países em desenvolvimento, os quais são assolados por epidemias mortais, geradas pela proliferação de condições sub-humanas de higiene, alimentação e saúde.
No curto prazo, as medidas mais urgentes são as práticas de assistencialismo (fornecimento de remédios, suporte médico etc), mas no longo prazo somente a educação pode solucionar o problema, introduzindo hábitos de higiene e gerando riqueza para o país que possa ser revertido para melhorar a alimentação e a saúde.

Eduardo Donni (pai do Igor)

9 de Maio de 2007 20:49

Anônimo disse...

A área da saúde é muito desvalorizada no Brasil. As(os)enfermeiros ganham pouco e fazem plantão, trabalham muito, etc... A condição dos hospitais públicos é mizerável, o atendimento é ruim, está sempre lotado, etc... Esse governo deveria investir mais na saúde, sinceramente, porque está uma porcaria